Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Projetos inovadores de educação podem evitar tragédias como a da Síria

Projetos inovadores de educação podem evitar tragédias como a da Síria

Projetos inovadores de educação podem evitar tragédias como a da Síria

Servidores, alunos e gestores do IFPB participaram do evento

 

Na conferência de abertura do Encontro de Extensão (ENEX-2015), promovido pela Pró-Reitoria de Extensão do IFPB (PROEXT), o Secretário de Educação do Município de Canoas-RS, professor Eliezer Pacheco, fez um resgate histórico dos processos econômicos e sociais que estão provocando a violência na Síria e em outros países do Oriente Médio. O evento, sediado no Campus Avançado de Areia-PB, do IFPB, aconteceu ontem (24), no Auditório de Ciências Agrárias, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), que apoiou a iniciativa.

O professor Eliezer Pacheco, que é historiador, iniciou a conferência intitulada: “A educação popular como prática da extensão para uma revolução na educação profissional e tecnológica” recorrendo ao episódio do menino sírio, Aylan Kurdi, encontrado morto em uma praia da Turquia, para simbolizar a barbárie contra o Oriente Médio que, segundo ele, “é um atentado desumano das potenciais do Ocidente, em busca de petróleo e formação de mercado para seus produtos”.

O educador alertou o público do evento, composto por estudantes e servidores de diversos Câmpus do IFPB, para as tentativas de ataques constantes das potencias neoliberais, também contra o Brasil, o que se dá pela tentativa da apropriação do pré-sal e dos recursos hídricos brasileiros, através da compra de terras sem limites na área rural.

O professor Eliezer disse que só um projeto de educação com autonomia poderá livrar o Brasil, bem como outros países, de tragédias nas mesmas proporções da que se abateu sobre a Síria. Para ele, o reajuste neoliberal que está acontecendo no mundo, só poderá resultar em mais barbárie.

Contextualizando os acontecimentos da política internacional, com a proposta do ENEX-2015, o professor afirmou que o projeto dos Institutos Federais representa uma estratégia educacional de promoção do desenvolvimento, com soberania e inclusão social. “Só uma educação transformadora, calcada nos valores da modernidade: liberdade, igualdade e fraternidade, poderá fortalecer a sociedade, livrando-a das tragédias fomentadas pelo egoísmo das potências econômicas.

Eliezer assinalou que os Institutos Federais não são melhores, nem piores que as Universidades, mas um projeto de educação verticalizada, que pretende superar as dicotomias de ensino de elite e ensino de trabalhador, reconhecendo que todos, mesmo os mais humildes, têm condições de aprender. “Esse modelo de educação pretende derrubar as barreiras entre técnica e ciência, superando o academicismo e a formação de mão-de-obra”, enfatizou o secretário.

Desafios da educação

 

 

A Assessora do Ministério da Educação, Helena Singer, que também participou da conferência de abertura do ENEX-2015, afirmou que a educação atual deverá enfrentar três grandes desafios: inserir todas as crianças e os adolescentes na escola, buscar a qualidade na educação e, por último, promover a inovação dos processos pedagógicos.

Segundo a assessora, os jovens da atualidade aprendem de uma forma diferente, utilizando as redes sociais e as novas tecnologias da informação e da comunicação. Para Helena a educação precisa primar pela inovação e criatividade, flexibilizando os processos de ensino-aprendizagem. “A mobilização para promover essas transformações na educação é o nosso principal desafio”, enfatizou a educadora.

O legado de Paulo Freire

 

Já o diretor de atividades de extensão da PROEXT, professor Dimas Brasileiro, complementou as visões educacionais dos professores Eliezer Pacheco e Helena Singer, com detalhes sobre a metodologia educacional de Paulo Freire. Ele destacou a importância do movimento de cultura popular, da década de 1960, que se tornou uma influência da cultura nordestina no âmbito nacional.

Segundo Dimas, o educador Paulo Freire entendia que a leitura do mundo, precede a leitura da palavra, contextualizando politicamente a educação. Para o professor Dimas, fundamentado em Freire, “se quem faz extensão não for capaz de acreditar na capacidade de uma pessoa simples, como um agricultor, aprender, será um tecnicista e jamais um educador”.

Consolidação

 

O assessor para implantação do Campus Avançado de Areia, Adriano Melo, destacou a importância do ENEX-2015 no processo de implantação da unidade de ensino do IFPB, assinalando que o evento garantirá a inserção das comunidades nos processos educacionais da instituição, gerando novos desafios. “Já não somos como na chagada, após o ENEX-2105, estaremos mais fortalecidos ainda”, enfatizou.

O Reitor do IFPB, professor Cícero Nicácio Lopes, que mediou a referida conferência, destacou a presença dos diretores de Câmpus, agradecendo os esforços de cada um para garantir a participação das respectivas delegações no ENEX-2015.

Crisvalter Medeiros