Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Extensionistas do Campus Cajazeiras participam do III ENEX

Extensionistas do Campus Cajazeiras participam do III ENEX

 

Um intercâmbio de saberes e fazeres resultantes de parcerias entre o Instituto Federal da Paraíba e a sociedade. Esse é o ENEX – Encontro de Extensão do IFPB, que está em sua terceira edição e que este ano foi realizado no Campus da UFPB, na cidade de Areia, entre os dias 24 e 26 de setembro. O evento reuniu extensionistas de todos os campi do instituto e contou com a presença de diversas autoridades e de representantes das comunidades assistidas pelos projetos de extensão.

O tema do III ENEX “Inovação como práxis da Extensão”, demonstra a inspiração nos ensinamentos de Paulo Freire, que pode ser percebida principalmente pela metodologia de apresentação dos trabalhos, na forma de círculos de extensão, onde cada extensionistas debatia com os demais as experiências do seu projeto. O professor de música do Campus Cajazeiras, George Glauber Félix Severo, foi mediador de um círculo de extensão com a temática da cultura e contou que aprovou a mudança. “O debate se tornou mais envolvente, mais leve e menos mecânico que uma apresentação formal. Todos se sentiram a vontade para dividir suas dificuldades, comparar os pontos em comum e fazer sugestões”.

A professora Wilma Fernandes além de participar do círculo de extensão, também desenvolveu, junto com os estudantes Samuel Oliveira e Francisco Judivan, uma atividade autogestionada ligada ao projeto Mãos à Arte, que trabalha com oficinas de origamis para crianças e adolescentes atendidos pela Pastoral do Menor, em Cajazeiras. “Temos o projeto desde 2013 e a cada ano buscamos aperfeiçoar nosso trabalho. Primeiro buscamos despertar a consciência ecológica, trabalhando com material reciclado, como papel de jornal e embalagens tetra park para fazer objetos de decoração, agora buscamos desenvolver a criatividade e trabalhar o ensino da geometria espacial através dos poliedros de Platão. Nas discussões do círculo de extensão, um colega apontou para o potencial inclusivo que tem o nosso projeto no ensino da geometria para deficientes visuais. Eu gostei muito da ideia e é por isso que eventos como o ENEX são importantes, por proporcionar a partilha de experiências”.

Lidiane Maria – Jornalista do IFPB/ Campus Cajazeiras